quinta-feira, 6 de março de 2008

Alô? Tá?

Desde que começaste a dizer Olá, quando falamos ao telefone com os teus avós de Coimbra, temos tentado que digas Olá. Nem sempre somos bem sucedidos, né filhote?
Mas há dias em que estás especialmente bem-disposto que depois de falares com a avó ao telefone, é só sorrisos por teres feito esta proeza.
Agora, tudo serve de telefone para ti, Pedro, desde os comandos da TV, vídeo, etc, até caixinhas pequenas.
Mas confesso que a melhor de todas foi a de ontem: a avó deu-te uma bolacha Maria (deviam pagar-me pela publicidade, não acham?) para ires entretido até à Creche. Sentei-te na cadeirinha do carro e lá fomos nós.
A esta hora há sempre trânsito e vai dando para te espreitar pelo retrovisor. Pois ontem, apanhei-te com a bolacha encostada ao ouvido e a dizeres "olá"...Tive de me rir!
A verdade é que já ando desde o Natal para te comprar um telemóvel da Chicco, e mesmo já tendo andado a ver, parecem-me sempre muito simplistas. Mas também não é para mim, certo?
Pois bem, de hoje não passa. Vou ver se encontro o teu telemóvel, filho.

Não!!

NÃO.
Eis que o Príncipe Rabuja já sabe dizer esta pequenina palavra e com todas as letras e com todo o sentido!
Para além de outras que já vai aplicando no verdadeiro contexto e outras para indicar o que quer, surge agora o "Não" para reforçar realmente o que quer. Ou não quer, melhor dizendo.
Se há alturas em que não dá jeito nenhum o Pedro dizer "Não", outras há que facilitava imenso a situação, nomeadamente: quando não quer comer mais. Ora se viesse o "Não", evitava sujar-se todo e aos que estão de volta dele porque quando não quer comer mais papa ou sopa, continua com a mania de deitar fora em jeito de cuspir e depois, já se sabe, daqui a muitos anos ainda encontraremos vestígios de papa e sopa nos mais variados sítios. Para não falar da pobre da mãmã que como lhe dá o pequeno-almoço (faço mesmo questão de ser eu), acabo quase sempre por trazer alguma "medalha" na roupa. Se estivesse em casa, não haveria qualquer problema. Mas depois de o deixar no creche, vou para o trabalho "medalhada"...
Digamos que o avô Quim também tem contribuido largamente para o desenvolvimento da aplicação negativa do meu filhote. Gosta de o "arreliar"! Ora o Pedro, que já se adivinha teimoso, e tendo descoberto os benefícios salutares do "Não", reage respondendo vezes sem conta com o "Não" reforçando a sua aprendizagem.
Também tenho de admitir que os papás tem ajudado: assim que o Pedro começou a andar e a querer mexer em tudo e mais alguma coisa, fomos dizendo-lhe: "Não mexe, filhote...não mexe, Pedro...etc."
Agora, olha...
Será que esta fase do "Não" demora muito a passar?
Eu e o Zé já decidimos que está também na altura do Pedro aprender o "Sim"...veremos

domingo, 2 de março de 2008

Fim de semana com cheiro a Primavera

O Sol esteve sempre do nosso lado.
Fomos no Sábado almoçar com os teus avós pois a tua avó fazia anos. Mas como acordas sempre cedo, adormeceste a caminho de lá e ainda consegui pôr-te na caminha sem acordares. O almoço estava óptimo como sempre. O teu avô cozinha muito bem e o arroz de polvo estava excelente. Cantou-se os Parabéns a Você e brindou-se! Na hora do bolo, acordaste (tás a ficar muito guloso, filhote!!) e provaste o doce. Após as compras da semana, viemos para casa tratar das limpezas. Tínhamos de nos apressar porque a Tia Fernanda vinha cá jantar. Andaste bem disposto atrás do U (aspirador) e mesmo antes da tia chegar jantaste. Correu bem, como tem acontecido nestas duas semanas. Mas, e não sei porquê, começaste a espirrar e a tossir. Pronto! Lá vem mais uma constipação...
O jantar estava óptimo! Umas espetadas temperadas pelo avô e feitas pelo papá, uma salada "maluca" preparada pela mamã e umas entradas de queijo da serra e presunto com um bom vinho branco e tinto foi o menu deste agradável jantar com a nossa querida amiga.
Claro que como sempre que há visitas, a mamã tinha de partir loiça. Desta vez foi o teu biberon...e ainda por cima cheio de leite. O que vale é que ainda temos um. Mas é melhor ir tratar de arranjar outro...
Depois de beberes o leitinho, adormeceste ao colinho do papá e em menos de 15 minutos estavas na tua caminha. Dorme bem, meu pequeno Príncipe!
O resto da noite passou-se na conversa acompanhada de um licor Beirão. Bem bom!!
E sabes uma coisa, filho? É tão bom estarmos com os amigos! E a tia Fernanda é uma amiga da mãmã de longa data. Apesar de termos estado sem notícias uma da outra por vários anos, acabámos por nos reencontrar e desta vez não haverá mais "desaparecimentos". E já lá vão 23 anos!
No Domingo de manhã fomos a um evento em Setúbal. Mais uma vez o dia estava cheio de sol.
Uma exposição de modelismo onde estavam também a tia Ana Lúcia, o tio Zé, e os filhotes Gabriel e Clarinha, que está uma fofura de bébé, sempre sorridente.
O papá andou a ver os trabalhos expostos, tirou umas fotos e a tia tirou uma de nóis três. Que bem que estamos, filho!!
Foste a dormir na viagem para lá e acordaste contente. Há hora do almoço regressámos para a nossa casinha e eu já apreensiva ao ver-te com o pingo no nariz. A ver vamos...
Almoçámos primeiro pois tavas maroto e dizias que não à tua sopa. Mas troquei-te as voltas, filhote. Dei-te a sopinha depois enquanto vias as fotos e depois de um banhinho com muita brincadeira, adormeceste rapidamente.
E enquanto dormes, conto a história deste fim de semana, enquanto o papá se entretem com o barquinho.
E sabes uma coisa, filho? Falta uma semana e um dia para irmos de férias! Viva!!